História de Itapirapuã, a Pedra Branca do Poço do Peixe!

1 – Primeiro registros, a sesmaria.


Itapirapuã tem nome indígena. No passado a região era ocupada pelos índios caiapós. Esta é a terra da pedra branca do poço do peixe, significado do nome da cidade na língua tupí-guarani. Este município faz parte do Oeste Goiano distante 189 km da capital do Estado, a cidade de Goiânia.

Há registros datado de 28 de Março de 1794, do pedido de medição para empossar-se judicialmente como sesmeira, a Sra. Nicácia Ludovica de Jesus, de 3 léguas de terras devolutas entre o ribeirão Ouvar e o rio Itapirapuan e ato de posse datado de 11 de abril de 1799 dando origem à Sesmaria do Uvá, doada pelo Rei de Portugal e confirmada depois em processo demarcatório, sendo umas das raras Sesmarias confirmadas por processo judicial, com limites e divisas certas, sem a existência de Registro Paroquial por conta disso.

2 – A pedra branca do poço do peixe, Marechal Rondon

Marechal Rondon
Sua fundação se deu no início da construção da primeira estação telegráfica, com a nomeação em 1891 pelo governo Federal, do Capitão de engenharia Raimundo Ewerton Quadros, seguido depois em 1907 pelo desbravador e sertanista Capitão Cândido Mariano da Silva Rondon para servir a uma extensa região entre os estados de Minas Gerais e Mato Grosso. O Capitão Cândido Rondon faz pousada por longo tempo no local às margens do Rio Itapirapuã onde hoje as águas volumosas esbarram de encontro ao grande bloco de pedra branca, daí o nome "Pedra Branca", que depois viria a ser "Pedra Branca do Poço do Peixe", ou "Pedra do Peixe Redondo" como defende o escritor Waldomiro Bariani Ortêncio, devido à grande quantidade de arraia-fogo existente no local e temida pelos índios Caiapós que habitavam a região.

3 – Domingos Félix, fundador?

Antiga casa dos Correios
O pioneiro Domingos Félix é tido como fundador da comunidade. Mas vários vultos importantes desbravaram a região, com registros anteriores a Domingos Félix, que em 1935 é que veio morar no povoado que se formava nomeado como guarda-fios. O primeiro guarda-fios, uma espécie de fiscal e segurança da Linha telegráfica e da estação telefônica construída, e que permaneceu no posto até o ano de 1918 quando se aposentou e foi substituído pelo o cabo do 2º Batalhão de Infantaria de Goiás, Severino Alves de Souza. Foi nomeado ainda o encarregado de cuidar da balsa que fazia a travessia do Rio Itapirapuã, o barqueiro Felipe Ferreira Leite. De 1918 a 1920, é nomeado quarda-fios Everaldino Artiaga e em 1920 é nomeado Aristóteles Gonzaga que fica no posto até 1930. Há registros de transações comerciais entre o Capitão Rondon e o rico fazendeiro Graciano de Souza Caldas, tudo datado do início do século 20.

Em 22 de Janeiro de 1929, padres dominicanos constroem uma capelinha neste local e sob influência destes São Domingos começou a ser cultuado na localidade como padroeiro.

Nesta época, 3 construções de alvenaria existiam, sendo que as demais eram ranchos de pau-a-pique e cobertos de palhas. As 3 casas de alvenaria eram a estação telegráfica, a do guarda fios e a do velho Graciano de Souza Caldas.

4 - Primeira professora, o conhecimento

Em 1943, Sebastiana Sardinha da Costa, professora municipal do município de Goiás, é nomeada orientadora das crianças e assim criada a primeira Escola Municipal do povoado. Em 6 de maio de 1946 o governador do estado, General Felipe Xavier de Barros a nomeia como professora primária, sendo que já lecionava há 3 anos sem nomeação em baixo da sombra da mangueira existente no largo do povoado. Já em 1948 é construído o prédio da primeira escola, pelo Governador Jerônimo Coimbra Bueno. Em março deste mesmo ano chegam para morar na localidade, Josefa Rodrigues de Aquino, mãe de Luiza Delmond Sobreiro e avó de Faustino Delmond Sobreiro, que viria a ser mais tarde o primeiro prefeito eleito da cidade.

5 – Primeiros comércios, a economia.

Neste mesmo ano chega João Saad e é construída a estrada que liga a cidade de Goiás a Itapirapuã, hoje a BR-070. Nos anos a seguir, chega a família de José Lourenço da Silva, pai dos "irmãos Lourenço", que monta o Armazém Progresso e entrega aos filhos Francisco, João e Geraldo Pereira da Silva, este último também vem a ser prefeito futuramente. A primeira farmácia pertenceu a Corivaldo Lourenço Cabral, outro futuro prefeito. O povoado agora já contava com oito casas cobertas de telhas. As outras habitações são ranchos de palha. A primeira pensão pertenceu a Dionísio Cândido da Silva e Maria Dutra da Silva.

No ano de 1950 instala-se a Coletoria Estadual, sendo coletor o sr. Geraldo Hermes dos Passos. Geraldo Resende instala a loja de tecidos "Casa Selma".

Aos 21 de setembro de 1951 instala-se no povoado a família de João Saad.

A primeira máquina de beneficiar arroz é instalada em 1952, por José Raiz Sobrinho terminando aí a era do arroz de pilão. Logo outra máquina de arroz, ainda em 1952, chega pelas mãos de João Cardoso d'Ávila e Angelica Almeida d'Ávila.

6 – Barreto Neto, o loteamento.

A partir de 1952 que Itapirapuã começou a ter desenvolvimento mais acelerado. A Prefeitura da cidade de Goiás, pela Lei nº 110 de 8 de agosto de 1952, determinou o loteamento da povoação de Itapirapuã e vendeu através de permuta pela construção do Hotel Municipal da Cidade de Goiás, para a Companhia Construtora Engenharia Barreto Neto S/A. O loteamento compreendia 394,97 ha. de terras, sendo traçadas 14 avenidas, 46 ruas, 4 praças, com 89 quadras e 1895 lotes, 50 chácaras e 14 granjas. O Presidente da Engenharia Barreto Neto S/A designa João Saad como corretor que possibilita, até aos mais pobres e já em posse do lugar, a aquisição do lote para construção da moradia. Daí então o povoado começa crescer.

Em 1º de janeiro de 1953 o local passou a ser Distrito de Goiás, em em 7 de abril de 1954 instala-se o Cartório Distrital de Itapirapuã com a nomeação de Copérnico José de Barros, como seu Titular e este indica em 20 de abril, Edla Pacheco Saad para o cargo de Escrevente Autorizada.

7 – Representação política, Nico de Barros e João Saad.

Na eleição de 3 de outubro de 1954 a Vila de Itapirapuã elege Copérnico José de Barros como seu primeiro representante junto à Câmara Municipal de Goiás, sendo o mais votado de todos os eleitos. Em 3 de outubro de 1948 o Distrito de Itapirapuã elege 2 representantes junto à Câmara de Vereadores da Cidade de Goiàs: Antonio de Souza Batista e João Saad.

Em 1957 é instalada a pequena usina, movida a motor, de energia elétrica comemorado com grande foguetório pelos moradores.

8 – Um episódio pitoresco, a guerra dos auto-falantes.

No ano de 1958 é fundada a Igreja Assembléia de Deus que logo cativa a população simples e ordeira evadida da igreja católica. O padre, sentindo se afrontado, utiliza o serviço de som no auto-falante existente na torre da igreja e começa a fazer pregações e tocar músicas sacras. Os crentes revidam e instalam um auto-falante também. Ambos pregam, gritam, cantam e transformam o lugar em praça de guerra. É preciso que um líder político local interfira e consiga um acordo mudando a posição dos auto-falantes para uma posição contrária e com horários para pregação alternados.

9 – Kardecismo, multidões chegam à cidade.

No início da década de 60 outra reviravolta no meio religioso foi a chegada do espiritismo kardecista, primeiro na zona rural, depois na cidade. Verdadeira romaria de pessoas vindas a procura da religião a fim de tratamento de saúde possibilita através de doações de fazendeiros, a construção da casa espírita que logo se transforma em hospital. Os espíritas exerceram na década de 60 e até o final da década de 70, forte influência na cidade, inclusive no meio politico.

No final da década de 60 aparece na cidade um adepto de macumba e, se entrosando com uma família de fazendeiros, fazem sessões a altas horas da noite, colocam despacho em encruzilhadas e queimam velas às margens do Rio Itapirapuã.

10 – A emancipação, festa ao som do Hino Nacional.

Em 14 de novembro de 1958 Itapirapuã foi emancipada, através da Lei Estadual nº 2.113, de autoria do deputado estadual Venerando de Freitas Borges. A instalação município se deu em 1º de Janeiro de 1959 sendo nomeado o primeiro prefeito o Sr. Benedito de Cerqueira Borba, com a cidade em festa e ao som do Hino Nacional.

Nesta data nossa terra ganhou a condição de município e a sua autonomia político-administrativa desmembrando-se do então município de Goiás.

11 – Primeiro prefeito, nomeação do pedreiro.

1 - O primeiro prefeito foi nomeado, Benedito Cerqueira Borba (01 de janeiro de 1959 a 01 de fevereiro de 1961), teve a árdua missão de trabalhar pela implantação da sede administrativa do município, num breve mandato de 2 anos.

12 – Pedro Ludovico Teixeira, a inauguração da escola.

Pedro Ludovico Teixeira
Foi construído, com verba estadual, e inaugurado o Grupo Escolar Desembargador Mário Caiado com festa prestigiada pelo Senador Pedro Ludovico Teixeira, deputado estadual Venerando de Freitas Borges, deputado federal Gerson de Castro Costa e o deputado estadual Nelson Siqueira. A professora Lívia de Oliveira Matias é nomeada diretora da escola que se instala no dia 1º de agosto no novo prédio. É construído também o Cemitério Municipal todo murado.

13 – João Saad, o sonho da usina.

No decorrer do ano de 1959, o vereador João Saad empenha luta pela construção de uma usina hidrelétrica na fazenda de Lázaro Fraga de Melo, no ribeirão Bucaina onde existe uma corredeira de mais de 200 metros, com desnível de 15 a 20 metros. O projeto da usina foi levado ao Ministério das Energias que reservou até verbas orçamentárias para a obra, mas a ideia caiu no desinteresse de novas administrações.

Em 1960 foi instalada a 3ª máquina de beneficiar arroz, do sr. Jorge Elias, e também a primeira serraria cujo proprietário foi Joaquim Alves Pimenta

14 – Um tropeiro, o segundo é o primeiro prefeito eleito.

2 - O prefeito eleito, em 3 de outubro de 1960, Faustino Delmond Sobreiro (01 de fevereiro de 1961 a 31 de janeiro de 1966), (vice Geraldo Pereira da Silva) conhecido e importante tropeiro da época, inicia um ciclo político que tem sinais até hoje no município, inclusive com parentes ainda fazendo parte de importantes segmentos da sociedade, a exemplo do ex-Presidente do Sindicato Rural e ex-vereador, o advogado Dr. José Maria Sobreiro.

Na mesma eleição do prefeito é realizada a 1ª eleição para a Câmara de Vereadores (1961/1962), com mandato de 2 anos, assim composta: Benedito Cerqueira Borba, João Humberto de Souza, Francisco Tavares Florenço, Hormido Sardinha Mesquita, José Raiz Sobrinho, Hélio Ramos Vêncio e Manoel Branco de Gouveia.

Na gestão de Faustino, as estradas municipais começaram a ser abertas, a exemplo da estrada que liga a sede do município ao distrito de Jacilândia, com 60 km de extensão, na época apenas com serviços braçais, utilizando machados, enxadões e enxadas, sem nenhum maquinário.

15 – Regularização fundiária, desenvolvimento no campo.

Sob a liderança de João Saad e apoio do Governo Mauro Borges, inicia-se a regularização fundiária, com o loteamento de extensa área de terras, o “Rio Vermelho-Margem Esquerda”, e expedição de Títulos Agrários pelo Departamento de Terras do Estado. Esse loteamento provoca o aparecimento do Distrito de Jacilândia ao redor de conhecida lagoa.

É construído o Grupo Escolar do Distrito de Jacilândia, na administração do prefeito Faustino e inaugurado em 15 de abril de 1965.

Acontece em 3 de outubro de 1962 a 2ª eleição para a Câmara de Vereadores (1963/1966), para um mandato de 4 anos: José Cardoso Ferreira, Sebastião Oliveira da Silva, Hormido Sardinha Mesquita, João Humberto de Souza, Francisco Pereira Felício, Lourival Monteiro Filho e Odorico Bruno de Bastos.

16 – Terceiro prefeito, o progresso dos Lourenços.

3 - Geraldo Pereira da Silva, o Geraldinho Lourenço (1966/1970) foi o segundo prefeito eleito, em 3 de outubro de 1965. Como vice-prefeito é eleito Hormido Sardinha Mesquita. São empossados em 31 de janeiro de 1966. É construído um novo grupo escolar. Itapiapuã já possuía então 22 casas comerciais, um posto de gasolina, cinema, luz a motor e 3 farmácias.

17 – O matadouro municipal, a modernidade do Fórum.

Foi construído o Matadouro Municipal para abates de reses. Em 1967 foi construído o Ginásio Municipal cujo primeiro diretor foi o professor Geraldo Mathias Pereira. Outra obra construída bastante moderna para a época foi o prédio do Fórum da cidade, que posteriormente, já na década de 90, foi adaptado e hoje funciona o hospital municipal. Nesta gestão foi criado o Itapirapuã Futebol Clube, time da cidade que existiu até final da década de 90.

A lei n° 7.250, de 21 de novembro de 1968 cria a Comarca de Itapirapuã, que é instalada em 26 de julho de 1970

Foi eleita a 3ª Câmara de Vereadores em 30 de novembro de 1966, para o mandato de 1967 a 1970: Francisco Pereira Felício, Juarez Sales Bastos, Iraci José Barbosa, Divino Rodrigues Borges, Persival Pinto de Oliveira, Salvino Mariano Costa e Lourival Monteiro Filho.

Praça Marechal Rondon em 1972, atualmente Praça Túlio
Varnes Pacheco
18 – Quarto prefeito, a energia elétrica.

4 - O prefeito Lourival Monteiro Filho, (vice José Félix de Araújo), eleito em 30 de novembro de 1969 e empossado em 31 de janeiro de 1970 com mandato até 31 de janeiro de 1973 constrói obras importantes a exemplo da Praça Marechal Rondon em 1972, que é a praça central, primeiro marco de urbanização da cidade.

O primeiro Juiz de Direito foi nomeado em 13 de agosto de 1970, bacharel Benedito do Prado. O primeiro promotor de Justiça foi nomeado em 26 de janeiro de 1971, o bacharel Irineu Silva. Em 29 de Janeiro de 1971, o governador do Estado, Dr. Otávio Lage de Siqueira inaugurou a rede de energia elétrica vinda da Usina de Cachoeira Dourada. A energia gerada a motor foi abolida. Já existiam duas padarias na cidade.

Em 1972, os médicos Túlio Varnes Pacheco e Walter de Biase da Silva montaram e equiparam o Hospital e Maternidade Santo Antonio. Neste mesmo ano foi instalado uma Unidade de saúde do município, nada mais que um posto de saúde sendo nomeada para dirigi-lo a enfermeira-professora Janete Vale do Prado.

Em 15 de novembro de 1970 foi eleita a 4ª Câmara de Vereadores: José Cardoso Ferreira, Persival Pinto de Oliveira, Valdivino Martins de Brito, Conceição Assunção de Azevedo, João Martins de Oliveira, Paulo César de Oliveira Cruz e Salvino Mariano Costa.

Cartaz da eleição de 1972

19 – Quinto prefeito, Colégio Ilídia Maria Perillo Caiado.

5 - A eleição histórica e marcante na vida política do município, em 15 de novembro de 1972, do prefeito Dr. Paulo César de Oliveira Cruz, (vice Manoel Francisco dos Santos), empossado em 31 de janeiro de 1973, com mandato até 31 de janeiro de 1977, à época muito jovem, é assunto constante até hoje nas rodas políticas, pela disputa agressiva e a vitória por número reduzido de votos, menos de 10 votos, inclusive decidida por votos do Distrito de Jacilândia. Um fato marcante também dessa eleição foi a conhecida disputa do "tostão contra o milhão", o pobre vencendo o rico.




Lázaro Januário Teles (Lazinho Brasilone) e João Ivo da Silva (João Gambira).
Dois importantes  fazendeiros.

Dr. Paulo César inseriu a cidade no universo das comunicações com a implantação do sinal de televisão a cores, e construção da torre para ligação telefônica com a Capital do Estado de Goiás, Goiânia. Iniciou serviços na área da saúde com a construção do primeiro posto de atendimento à saúde. Construiu também, entre outras obras importantes, a Escola Municipal Sebastiana Sardinha da Costa, cujo nome homenageia a primeira professora do município.

20 – Bandeira e Brasão, civismo

Dr. Paulo César, já naquela época, iniciou implantação de rede pluvial e de esgoto em trecho da Av. Alfredo Nasser, obra paralisada e abandonada por administrações sucessoras, inclusive com retirada de canalizações colocadas.

Em 8 de abril de 1973 foi inaugurado o Colégio Estadual Ilídia Maria Perillo Caiado, com 310 alunos matriculados e com a direção da professora Janete Vale do Prado. Em 24 de maio de 1973 Foi criada a bandeira representativa do município. Nessa época existia, na cidade, cerca de 40 caminhões e camionetas, 150 automóveis e 350 bicicletas. A prefeitura possuía 2 máquina pesadas, 2 caminhões basculantes, 1 ambulância, 1 caminhão de carroceria, 2 carroças, 1 camionete, 1 volks, 1 maverick. O Distrito de Jacilândia contava com 50 casas residenciais, 11 comerciais, uma máquina de arroz e um açougue e ganhou energia elétrica gerada a motor. Em 1974 foi construído o Clube Beira-rio nas barrancas do Rio Itapirapuã, por Benedito de Cerqueira Borba. No dia 16 de Março de 1974 foi inaugurada a agência do Banco do Estado de Goiás S.A. Foi aberto o ramal da BR-070 ligando Itapirapuã ao Distrito de Águas de São João e a GO-031 ligando o distrito de Jacilândia a Jussara. Nesta época eram abatidas cerca de 60 a 70 reses mensalmente no matadouro municipal. Em junho de 1975 foi instalado o ensino de 2º grau na cidade, com os curso de técnico de contabilidade e o de magistério. Em fevereiro de 1976 foi inaugurado o Posto de Saúde Manoel Francisco dos Santos, e em julho de 1976, na área agropecuária, é implantada a Campanha de Combate à Febre Aftosa.

A Câmara de Vereadores, eleita em 15 de novembro de 1972: Corivaldo Lourenço Cabral, Adauto Abel Pereira, Alvino de Souza Fernandes, João Martins Monteiro, José Januário Teles, Marciano Gomes e João Lopes dos Reis. A partir desta eleição, a Câmara de vereadores passa a ter sua eleição e mandato coincidentes com o do prefeito.

21 – Sexto prefeito, o espírita e São Domingos.

6 - Corivaldo Lourenço Cabral foi eleito em 15 de novembro de 1976, (vice José Dutra Leão), empossado em 31 de janeiro de 1977, foi o prefeito que construiu obras como estádio de futebol, criou o Bairro São Domingos (que ocupa cerca de 1/3 da área da cidade, antes invasão), o primeiro conjunto habitacional com 48 casas, Escola Estadual Nico de Barros, cujo nome homenageia Copérnico José de Barros, liderança política primeiro vereador ainda do município de Goiás que contribuiu pela emancipação de Itapirapuã. Aquisição de máquinas como patrol, pá-carregadeira e caminhões marcou também a administração do prefeito Cori, como era conhecido.

Câmara de Vereadores: Francisco Batista da Silva, José de Souza Caldas, Lindomar Gonçalves Borges, João Pinheiro de Souza, Edson Gomes, João Martins de Oliveira e Joaquim João Barsi.

22 – Sétimo prefeito, Zé Bloquete trabalhador.

7 - Outro prefeito que fez bastante obras, foi Dr. José Ivo da Silva (1983/1988), (vice Paulo César de Oliveira Cruz), que além do Paço Municipal Lázaro Januário Teles, pavimentou todas as ruas centrais da cidade, com asfalto ou calçamento com blocos de cimento, entre outras obras. Dr. José Ivo foi o único a eleger o seu sucessor até então, quebrando pela primeira vez a alternância no resultado das eleições.

Câmara de Vereadores: Lindomar Gonçalves Borges, João Pinheiro de Souza, José Antonio de Bastos Sobrinho, Deodato Pereira do Nascimento, Manoel Caetano Rosa, Airton Xavier de Godoy, Emival Pinto de Oliveira, Zacarias Ribeiro de Oliveira e Cecília Teixeira Neto.

23 – Oitavo prefeito, canalização do Palmital.

8 - O prefeito, Paulo Roberto Pacheco Saad (1989/1992), (vice Lindomar Gonçalves Borges), fez asfaltamento de algumas ruas e avenidas, e importante obra na área de saneamento, a canalização do Córrego Palmital que corta a região central da cidade.

Câmara de Vereadores: Emival Pinto de Oliveira, Cecília Teixeira Neto, José Carlos da Silva, Hélio Januário Teles, José Milton do Espírito Santo, Jeoval Rocha Filgueira, Heleno Rodrigues Paes, Irene Alves Noronha e Roberto Lúcio da Silva.

24 – Nono prefeito, asfalto com recurso municipal.

9 - José Ivo da Silva (1993/1996), (vice Emival Pinto de Oliveira), volta para um segundo mandato, constrói mais asfalto, com recursos próprios da prefeitura, inclusive todo o bairro popular, mas termina o mandato de forma melancólica, tendo inclusive, de forma inédita, os recursos municipais bloqueados pela justiça para pagar salários atrasados.

Câmara de vereadores: Lindomar Gonçalves Borges, Izac Pereira Dutra, José Maria da Silva Sobreiro, Eurípedes Correia dos Santos, Tharley Rodrigues de Paula, Djalma Gomes da Silva, Marcos Antonio Borges, Benedito Lima Filho e Cloves Lourenço Ferreira (suplente que assume vaga de Antonio Secundino Rosa, eleito e falecido poucos dias antes da posse).

25 – As bóias descem o rio, Itapuã ecoa.

Nesta gestão nasceu o Rally de Bóia de Itapirapuã (1993) e foi criado o Sindicato dos Servidores Municipais (1995), outro marco importante na história da luta pelos direitos e liberdade no município. Também foi implantada a primeira rádio, a Rádio Itapirapuã fm, hoje Rádio Itapuã fm 87,9, de propriedade da Associação Comunitária de Itapirapuã. Outro fato que marcou este período foi a grande efervescência cultural e artística vivida com a CASARTI, Associação Casa do Artísta itapirapuense.

26 – Décimo prefeito, duzentas casas populares.

10 - Quem conseguiu também retornar ao poder para um segundo mandato, foi Paulo Roberto Pacheco Saad (1997/2000), (vice Zacarias Ribeiro de Oliveira), com a construção do Conjunto Habitacional Edla Pacheco Saad composto por 200 casas e que recebeu a denominação em homenagem a escritora conhecida e mãe do prefeito, importante personalidade na história do município, autora do livro "Itapirapuã - a Sesmaria e a Cidade".

Câmara de Vereadores: Nilson Almir Pereira do Nascimento, Divino Dias Barreira, Djalma Gomes da Silva, Benedito Rangel, José Geraldo da Silva, Erivaldo Alexandre da Silva, Neilson Costa de Farias, Eurípedes Correia dos Santos e Julieta Epifânia da Silva Oliveira.

27 – Décimo primeiro prefeito,  também o Décimo segundo.

11 - Zacarias Ribeiro de Oliveira (2001/2004 e 2005/2008), (vices Erivaldo Alexandre da Silva e Geraldo Bianchi, respectivamente), consegue ser o primeiro prefeito reeleito para mandatos consecutivo, após o advento da reeleição. Entre as marcas mais importantes, o salário dos servidores pagos sempre em dia, bem como os demais compromissos da administração. Realizou obras de asfaltamento de ruas e avenidas e construção de praças, galeria pluvial na Av. Alfredo Nasser, casas populares, centro comunitário e adquiriu maquinários.

28 – Implantação hospital municipal, geração de empregos.

Terminou a construção e equipou totalmente o hospital municipal, inclusive constituindo equipe de servidores, enfermagem, laboratorial e médica de acordo com exigências do Ministério da Saúde. Outra importante obra de Zacarias, foi o início de uma ação, inédita no município, que provocou a geração de empregos através do incentivo para implantação de facções da Empresa Hering. Foram implantadas as três primeiras confecções que geraram cerca de 60 empregos diretos e ainda encaminhado o processo de mais 10 facções implantadas posteriormente.

29 – A Rio Bonito, soma-se à Itapuã.

No final do seu segundo mandato, em dezembro de 2008, foi inaugurada a 2ª rádio da cidade, a Rádio Rio Bonito 85,9 fm, mais potente e com sinal alcançando mais de 20 municípios circunvizinhos.

Câmara de Vereadores (2001/2004): Lindomar Gonçalves Borges, José Ribeiro Damasceno, João Batista Alves, Joves Alves Teixeira, Benedito Rangel, Manoel Caetano Rosa, Helení Profiro de Jesus Ilhas, Geraldo Ivo da Silva e Reginaldo Marques Pires.

Câmara de Vereadores (2005/2008): Lindomar Gonçalves Borges, José Ribeiro Damasceno, Reginaldo Marques Pires, José de Souza Moreira, Eurípedes Correia dos Santos, Neilson Costa de Farias, Antonio Izaías Tibúrcio, João Albino de Oliveira Júnior e Vilmar Cardoso da Silva.

30 – Décimo terceiro prefeito, bom de fala, obras inacabadas, derrota nas urnas.


13 - O prefeito Erivaldo Alexandre da Silva, 2009 a 2012, fez sua campanha com um vice na chapa, José Ribeiro Damasceno, que foi substituído na véspera da eleição por Reginaldo Marques, sem divulgar o fato, na urna aparecia a foto do candidato que fez a campanha. Para agravar, a substituição do vice às pressas e de última hora, não foi homologada de pronto pela Justiça Eleitoral, o que causou certa confusão já que seus votos não foram computados, aparecendo  como vencedor da eleição o candidato Dustran Machado Rosa.

UBS no Bairro São Domingos: Obra inacabada.
OBRAS INACABADAS E CIDADE TOMADA PELO LIXO E MATAGAIS

Nesta administração foi feito o asfaltamento de algumas ruas e avenidas da cidade, e construída a Quadra Poliesportiva no Bairro São Domingos. Várias obras inacabadas, algumas inauguradas às pressas no final do mandato como uma UBS do centro da cidade, a Creche no setor cidade livre, e a restauração da antiga Casa dos Correios, mas todas entregues sem funcionar. Outra UBS, no Bairro São Domingos, cerca de trinta casas completa o rol de obras inacabadas, sem mencionar algumas pontes na zona rural.

 No final do seu mandato, após a derrota na sua reeleição, deixa a cidade abandonada, sem serviço de limpeza eficiente, o que transforma a cidade em um grande lixão, com sujeira espalhada por ruas e avenidas, e ainda o mato tomando conta.

OBRAS COM RECURSOS FEDERAIS E UM BANHEIRO NO CEMITÉRIO LOCAL COM VERBA PRÓPRIA

O prefeito Erivaldo Alexandre da Silva conseguiu importantes recursos do Governo Federal para obras através de emendas parlamentares.  Não foram realizadas obras importantes com recursos próprios do município, sendo que o maior destaque fica por conta de um banheiro construído no cemitério local.


Erivaldo deixou a cidade tomada pelo lixo
PREFEITO DE UM MANDATO SÓ

Apesar de uma boa comunicação e muito marketing para sua autopromoção, Erivaldo Alexandre da Silva entra para a história como o único prefeito a não se reeleger, depois do advento da reeleição no município. Termina um mandato de forma desmoralizada, e com problemas nas suas contas que tem rejeição no TCM.

Câmara de Vereadores: Olaércio Rodrigues de Morais, Ozana Avelino Pereira, João Albino de Oliveira Júnior, Benedito Rangel, Leonino Xavier de Godoy Junior, José de Souza Moreira, João das 3 Marias, Vilmar Cardoso da Silva e Elizabeth Silvério.

31 - Décimo quarto prefeito - Uma Mulher assume o poder no município

14 - O município elegeu a primeira mulher prefeita, Zélia Camelo de Oliveira para o mandato de 2013 a 2016. (vice: José de Souza Caldas). Zélia é filha do ex-prefeito Zacarias Ribeiro de Oliveira e venceu a eleição no distrito de Jacilândia, já que perdera na cidade. A diferença, apenas 39 votos.
Fato curioso foi que, por ter perdido na cidade, os adversários já comemoravam a vitória quando chegou o resultado do distrito (a 60 km de distância) onde Zélia havia vencido por uma diferença maior, permitindo a vitória mesmo apertada.

A Câmara de vereadores: Adão Carlos da Silva, Valdenésia Antônia dos Santos, Walfredo Rogério Manso, Danilo Lucas Barreira, Suerley Gonçalves do Nascimento, João Albino de Oliveira Júnior, Ozana Avelino Pereira, Luzia Ferreira Gomes Machado.

32 – Uma história iniciada no século XIX.

A história politico-administrativa de Itapirapuã, após a emancipação política, em linhas gerais e superficiais, é esta que procurei mostrar. Destacamos o importante período inicial, onde fatos históricos e relevantes merecem ser mencionados como, por exemplo, a passagem do famoso desbravador do sertão brasileiro, e indianista, Marechal Rondon, quando construiu a estação de correios e telégrafos em Itapirapuã, ainda no século XIX, cuja antiga casa dos correios existe até hoje, mesmo carecendo de restauração por estar prestes a desabar.

33 – Personagens e vultos atuais.

Estação, óleo s/ tela, de Dacruz
Alguns vultos importantes da história e atualidade tiveram convivência forte ou tem raízes em Itapirapuã, a exemplo do artísta plástico Carlos Dacruz (primo do ex-prefeito Dr. Paulo César) (pintura na foto), o médiun Salvino Mariano Costa, o cantor Lindomar Castilho (primo do ex-prefeito Corivaldo), o ex-jogador Júlio César (o Imperador da Gávea, do Flamengo), o locutor de rodeios Flávio Santos, entre outros.

34 – Três Marias e a Comai, a força do campo.

O município tem forte aptidão para atividades agropastoris, com destaque para o leilão anual de Nelore da Fazenda Agropecuária 3 Marias, que desenvolve pesquisas e criação da raça nelore com altos padrões de genética.

O cooperativismo tem forte representatividade com a COMAI-Cooperativa Mista Agropecuária de Itapirapuã, com fábrica de ração e latícinios. Outra prova de força no segmento agropecuário e realização anual da exposição agropecuária pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Itapirapuã. O município conta ainda com vários assentamentos de trabalhadores rurais onde a agricultura familiar vem sendo difundida de forma intensa.

35 – Duas Rádios, Rally de Bóias.

A cidade conta, além da Rádio Itapuã 87,9 fm, também com a Rádio Rio Bonito 88,5 fm, agência do Banco do Brasil e posto do Bradesco nos Correios. Forte comércio também pode ser observado em Itapirapuã, já que se compra de tudo. E o segmento de confecção tem sido ampliado bastante, já que cerca de 20 facções da hering funcionam a pleno vapor gerando emprego e renda.Os índices de violência em Itapirapuã são baixos, e a cidade oferece opções de lazer interessantes, valendo citar eventos como o Rally de Boia de Itapirapuã, anualmente sempre no feriado de Corpus Cristi, a Subida Ecológica, anualmente no feriado da semana santa, a festa Halloween, anualmente em outubro, a festa de São Sebastião, no mês de maio, a festa do padroeiro São Domingos, no mês de agosto, a exposição agropecuária, no mês de julho. Outra atração interessante é a feira do pequeno produtor realizada toda sexta-feira na praça central, com farta variedade de comídas típicas e produtos hortifrutigrajeiros.

36 – Dois rios, o peixe assado e saboroso.

O município de Itapirapuã é banhado pelos Rios: Vermelho, Itapirapuã, Bucaina, com diversas opções de camping, pesca e banho. O Rio Itapirapuã dentro da cidade, oferece linda praia e barracas que oferecem bebidas geladas e local aconchegante para contato direto com a natureza. No local, a barraca do Geneci é conhecida pelo saboroso peixe frito na hora e servido, com acompanhamento, no almoço, jantar, ou como tira gosto acompanhando a cerveja gelada que também é oferecida.

Pela sua história e pela sua atualidade, pelo seu povo e pela sua terra, parabéns Itapirapuã! São mais de meio século de emancipação e uma história secular sendo construída pela luta de um povo persistente e abençoado!

Por: Nilson Almir

Fonte de pesquisa: Internet, entrevistas, Câmara Municipal, e o Livro "Itapirapuã - A Sesmaria e a Cidade" de Edla Pacheco Saad.